Sétima e Oitava Horas Extraordinárias após a Convenção Coletiva de 2018

Tema que causou grande controvérsia entre os bancários foi a convenção coletiva da categoria vigente desde primeiro de setembro de 2018.

Tal polêmica se deu em razão do conteúdo do parágrafo primeiro da cláusula primeira, abaixo transcrita:

“Parágrafo 1º – Havendo decisão que afaste o enquadramento de empregado na exceção prevista no § segundo do artigo 224 da CLT, estando este recebendo ou tendo já recebido a gratificação de função, que é a contrapartida ao trabalho prestado além da 6ª (sexta) hora diária, de modo que a jornada somente é considerada extraordinária após a 8ª (oitava) hora trabalhada, o valor devido relativo às horas extras e reflexos será integralmente deduzido/compensado, com o valor da gratificação de função e reflexos pagos ao empregado. A dedução/compensação prevista neste parágrafo será aplicáveis às ações ajuizadas a partir de 1º.12.2018”.

Com isso, a nova convenção coletiva trouxe a regra da compensação das horas extraordinárias, assim considerada pelo não exercício de função de confiança, conhecida comumente como sétima e oitava horas com a gratificação recebida no período.

Entretanto, é necessário ter cautela quanto à aplicação da nova regra, eis que mesmo para as ações que forem ajuizadas após o período considerado na convenção coletiva, qual seja, 1º.12.2018, terá o bancário não ocupante de cargo de confiança, direito ao recebimento de sétima e oitava horas extraordinárias anteriores ao período de vigência da convenção coletiva, sem a aplicação da regra da compensação, explica-se:

Caso um bancário intitulado como ocupante de cargo de confiança, em razão de atribuição dada pela instituição financeira, a exemplo do que ocorre com os analistas de departamento, ingresse hoje com reclamação trabalhista pleiteando sétima e oitava horas extraordinárias, este terá o direito relativo sem a aplicação da regra da compensação com a gratificação de função até a data de 31 de agosto de 2018, eis que a nova convenção coletiva só poderá ser aplicada para a data base de 1º de setembro de 2018, não podendo retroagir ao período anterior.

Em que pese a discussão jurídica quanto ao tema ser recente, já há decisão favorável aos bancários na Justiça do Trabalho de São Paulo.

Portanto, você bancário que pretende buscar seu direito a sétima e oitava horas extraordinárias, poderá fazê-lo mesmo com a vigência da nova convenção coletiva, sendo importante mencionar que na referida ação poderão ser cobradas as sétima e oitava horas extras considerando-se período dos últimos cinco anos, descontando-se as horas extras realizadas de 01/09/2018 (início da nova convenção coletiva) até a data da propositura da ação.

Mais informações sobre advocacia trabalhista.

Posts relacionados

Entenda como funciona a reclamação trabalhista
Muitas pessoas buscam saber como funciona a reclamação trabalhista de olho em uma possível reparação após se sentirem lesadas, de alguma forma, por uma empresa com quem possuíam vínculo empregatício. Dentro da extensa área de direito trabal…

Direito trabalhista: Assessoria Jurídica Trabalhista em tempos de crise
Estar atento a todos os detalhes do direito trabalhista é um cuidado que deve estar sempre entre as prioridades de todas as empresas, de modo a evitar futuras dores de cabeça com passivos trabalhistas e outras dúvidas relacionadas às obrigações…

Verbas Rescisórias na Pandemia (COVID-19)
Diante do atual cenário nunca vivenciado pelos brasileiros, com a pandemia e, consequentemente, o estado de calamidade pública decretado pelo Governo Federal, muitos trabalhadores têm dúvidas quanto às verbas a serem pagas pelas empresas em cas…