Com o crescimento das relações comerciais nos últimos tempos, algumas empresas não têm o controle administrativo necessário para baixar os títulos pagos, pontualmente ou com atraso, e acabam inscrevendo indevidamente o nome de seus clientes junto aos órgãos de proteção ao crédito (SPC e SERASA).

A lei do consumidor é clara ao determinar como direito básico do consumidor a proteção e reparação dos danos patrimoniais e morais sofridos, bem como a lei civil estabelece o dever de reparação do dano pela parte que causá-lo indevidamente.

Um ponto importante de destacar é que o entendimento dos Tribunais tem sido no sentido de que, para que haja a condenação à indenização por danos morais é necessário que a inscrição indevida seja a única que conste no apontamento do consumidor, ou pelo menos que haja uma discussão judicial a respeito de outro apontamento, uma vez que o dano moral será concedido pela “negativação” indevida, sendo que, se houver outros apontamentos anteriores, não haverá que se falar em prejuízo sofrido pelo consumidor.

Posts relacionados

Entenda como funciona a reclamação trabalhista
Muitas pessoas buscam saber como funciona a reclamação trabalhista de olho em uma possível reparação após se sentirem lesadas, de alguma forma, por uma empresa com quem possuíam vínculo empregatício. Dentro da extensa área de direito trabal…

Direito trabalhista: Assessoria Jurídica Trabalhista em tempos de crise
Estar atento a todos os detalhes do direito trabalhista é um cuidado que deve estar sempre entre as prioridades de todas as empresas, de modo a evitar futuras dores de cabeça com passivos trabalhistas e outras dúvidas relacionadas às obrigações…

Verbas Rescisórias na Pandemia (COVID-19)
Diante do atual cenário nunca vivenciado pelos brasileiros, com a pandemia e, consequentemente, o estado de calamidade pública decretado pelo Governo Federal, muitos trabalhadores têm dúvidas quanto às verbas a serem pagas pelas empresas em cas…